Para que escola no confinamento?

-“Olha, mãe, é a Marcela!” Alegra-se o menino ao ver a professora na tela. Em seguida, aparecem o Mateus, o Gabriel, a Luiza e tantos outros colegas que ele não via há semanas. Assim começa a “aula ao vivo”, parte da experiência em EAD na educação básica que, à exceção de experiências ainda muito incipientes, não existia no Brasil. Outros recursos também são usados pelas escolas para dar seguimento às atividades durante o afastamento: vídeo-aulas, cadernos de atividades, sugestões de filmes, vídeos e experiências caseiras… Mas tudo isso para quê? Isso funciona? Os alunos aprendem assim? É possível substituir a aula presencial?

Contato
Belo Horizonte, Minas Gerais
31 99982-4543

© 2020 Nós na rede